EDIÇÃO 2019

cartaz2019
1 agosto

Toques do Caramulo

Os Toques do Caramulo reinventam-se continuamente, fazendo música nova das velhas cantigas e levando o público a surpreender-se com o repertório esquecido da Serra do Caramulo. Com amplo reconhecimento nacional e internacional, este é um espetáculo de forte energia musical e interação com o público, fazendo de cada concerto uma grande festa para todas as idades.

https://dorfeu.pt/criacao/toquesdocaramulo/
facebook.com/toquesdocaramulo

Espaço Baião

O Espaço Baião através da música e da dança trazem do outro lado do oceano a cultura energética do Forró ao Tradidanças 2019. Aulas, bailes com música ao vivo e DJ Sets recheados de sonoridades vibrantes e muita dança. Forró, Baião, Xaxado e um Xote para recuperar o fôlego são alguns dos ritmos que poderá dançar. Uma atividade aberta a todos os que já dançam e têm vontade de experimentar esse ritmo que cresce e tem tomado conta das pistas de dança mundo afora! É Forró que vamos ter!

Riu

RIU é um grupo Folk formado no Baixo Llobregat, Barcelona em 2010. Com quatro álbuns lançados, este verão apresentam DELTA. Vencedores da competição IV SONS DE LA MEDITERRANIA já viajaram por toda a Catalunha, Euskal Herria, Galiza, Cantabria, França, Itália e Irlanda em mais de 250 concertos. Delta é o novo álbum do grupo e a quarta letra do alfabeto grego, é também o acidente geográfico causado pelo acumular de sedimentos na foz de um rio que transforma e cria novos ambientes. O nome deste álbum de RIU é uma metáfora baseada no facto de que a sua música estar enraizada na tradição popular, e de onde nascem novos sons; com raízes na tradição catalã, nos vizinhos do Mediterrâneo, mas também com atmosferas que contemplam as harmonias atlânticas. Salut i RIU 🙂

www.riumusica.cat
www.facebook.com/RIU.musica.PPCC/
www.instagram.com/riumusica/?hl=pt

Natura

“Quinta? Quinta-feira? Sim posso! Foi assim que numa brincadeira de tardes aqui e acolá que foi surgindo a vontade de partilhar a relação bonita entre uma Castagnari e uma Loffet. Uma tocada pelas mãos do encantador de sons Rafael Gomes e outra nas mãos da bucólica Natércia Lameiro. Num dueto de dois pulmões cantantes. Juntos, pegaram nas raízes da música portuguesa e fundiram-na com algumas sonoridades do brasil e também da frança acabando assim por criar uma nova identidade sonora. Recuperaram também alguns poemas e canções tradicionais portuguesas e adaptaram-nas ao universo do baile folk. Uma das missões dos NATuRA é ter mais pessoas a cantar repertório tradicional. O canto e a dança sempre andaram de mãos dadas mas cada vez mais deixamos de ter bailadores a cantar e músicos a ensinar as letras e as canções. Para que consigamos manter a tradição viva, e porque acreditamos na importância do canto associado à dança, tentamos ensinar algum do nosso repertório, principalmente as canções portuguesas.

www.natura74.wixsite.com/natura

André Madeira

André Madeira é professor de dança, coreógrafo e bailarino. Finalista do programa de televisão “Dança com as Estrelas”, André Madeira irá levar alguns ritmos latinos ao festival. Reconhecido pelas suas aulas vibrantes e coreografias carregadas de uma energia contagiante, no Tradidanças vai dinamizar oficinas de jive (rock n’roll) e salsa.

www.andremadeira.pt/
www.facebook.com/André-Madeira-476216019255231/
www.instagram.com/andremadeira1

Rui Beato

Eram Tantas Vezes (é o projecto de um contador de histórias (Rui Beato) num espectáculo dinâmico onde as histórias ganham vida, adicionando à palavra: sonoplastia, teatro físico, animação e interactividade com o público). A sonoplastia é a vaselina das palavras e, enquanto recurso, cria paisagens sonoras conduzindo o escutador à catedral das emoções. Entre histórias de autor e histórias recolhidas de diversas partes do mundo adaptadas e reformuladas, as situações narrativas são díspares e inesperadas. Nesta sessão há um convite à libertação dos pensamentos pelo desassossego, pelo absurdo, pelo ridículo e pelo inusitado das situações narrativas, o grande segredo das sessões Eram Tantas Vezes. A personagem do contador de histórias (trajado a preceito) representa um salteador das histórias perdidas que anda em busca das histórias mais “parvas” mas também reflexivas. A mala que traz consigo, contém histórias incríveis de várias partes do mundo, poemas vigorosos, segredos fantásticos e objectos estranhamente mágicos…

www.facebook.com/Eram-Tantas-Vezes-1450865585215395
www.instagram.com/eramtantasvezes.ruibeato

Desenhança

Os Toques do Caramulo reinventam-se continuamente, fazendo música nova das velhas cantigas e levando o público a surpreender-se com o repertório esquecido da Serra do Caramulo. Com amplo reconhecimento nacional e internacional, este é um espetáculo de forte energia musical e interação com o público, fazendo de cada concerto uma grande festa para todas as idades.

Jorge Marques

Jorge Marques é monitor de oficinas de dança, terapias, relaxamentos/desenvolvimento pessoal. Tem formação nas áreas da arte terapia, dança e yoga, e leva ao Tradidanças uma sessão de danças meditativas e outra de roda d’abraços.
DANÇAS MEDITATIVAS
Trata-se de um conjunto harmonioso de danças e cânticos oriundos das tradições espirituais Sufi, Hebraica, Nativa, Hindu, budista e Xamânica…
Estas danças e cânticos representam uma ruptura/corte com a materialidade irresponsável e com a correria, a superficialidade e poluição quotidianos. Manifestam um intenso apelo à paz, à solidariedade, à bondade, expressando a Alma mais profunda e mais Sagrada dos Povos, assim como possibilitam a exteriorização dos conteúdos primordiais da Vida e do Cosmos…
RODA D’ABRAÇOS
Nestas oficinas utilizam-se Músicas suaves, Mantras tranquilos e Danças Místicas para se criar uma atmosfera favorável à troca e partilha de múltiplos abraços (tipos de abraços: Padrão, Secreto, Ecológico, Sanduíche, de Faces Coladas, Lateral, Embalo, de Costas contra Costas, Zen, por Trás, Bio-Catártico, Coletivo, Boizinho Manso (Cornélios), D’Urso, Speedy Gonzales, Dionisíaco (Toureiro), Tântrico…).

www.facebook.com/JORGE.ANJOMAR

Cristiano Martins

Biodanza
Nas palavras do próprio criador, a Biodanza é uma “conjunção de Arte, Ciência e Amor”. Ciência, porque está sustentada nas ciências naturais (biologia, fisiologia, neurologia), nas ciências sociais (psicologia, sociologia, antropologia). A ecologia, a genética, a mitologia são também pilares basilares. Arte, pois propõe o germinar de uma beleza intrínseca que sempre pulsa de uma forma latente e que pede para poder ser expresso. O mediador fundamental na Biodanza é o movimento, mas também a expressão vocal, a pintura e a escrita são invocadas. Amor, pois assume-se como uma proposta de religar O Humano ao seu centro, que mais não é do que a percepção vivencial que existe uma fonte comum de partilha e de emanação que pode ter muitos nomes consoante o ângulo de nossa observação. De uma forma muito ligeira diria que a Biodanza é uma fusão amalgamada destes três ingredientes.
Biografia
Semente lançada à Terra na fértil Primavera de 1979 em Freiburg, Braisgau (Alemanha), raízes estendidas no Porto nos tempos seguintes e flores desabrochadas em Lisboa e no resto do mundo, no Momento de Agora… Facilitador de Biodanza Sistema Rolando Toro pela Escola de Biodanza SRT do Porto e de Portugal, assim como Didata de Biodanza pela International Biocentric Foundation. Nos últimos anos tem-se dedicado à construção de diversas oficinas de autor, nomeadamente com temas associados à exploração do Masculino/Feminino, Identidade, Criatividade e Sexualidade. Trabalha regularmente em Lisboa onde tem Grupos Regulares, mas também em outros pontos do país: Porto e S. Miguel e do Mundo: Berlin, Montreal, Saragoça, Mérida, Toulouse, Nantes, Tallin, Atenas, Budapest, Londres, também com agenda este ano em Israel e Polónia. Integrou durante 5 anos o corpo docente no Instituto Superior de Psicologia Aplicada na pós-graduação “Terapia pelas Artes Expressivas e Desenvolvimento Humano” e colabora com a Escola de Biodanza de Portugal no Acompanhamento de Alunos. É licenciado em Psicopedagogia Clínica e fez formação básica em Terapia Gestalt.

www.cristianomartinsbio.wixsite.com
www.facebook.com/BiodanzaCristianoMartins

Elisabel Arnelas

Bachata Tradicional e Merengue
Um dançar para a América Latina! Oficina para se aprender a dançar, disfrutar e sentir os ritmos latinos mais populares da República Dominicana e Cuba: Bachata Tradicional e Merengue, danças socias para bailar, com alegres músicas populares de América Latina.
Elisabel Arnelas
Bailarina, performer e professora. Começou as Danças Latinas sociais em Espanha aos 16 anos, e formou-se numa academia profissional de Danças de Salão de competição e danças sociais latinas. Fez Licenciatura em Motricidade Humana e Dança e Mestrado em Educação de Física. Terminou a sua formação académica em dança na Companhia de Dança Olga Roriz, em 2018. Atualmente trabalha como bailarina em espetáculos de danças Latinas para a Academia de Dança de Pedro e Fernanda (Viseu), para Orquestras e numerosos festivais em Espanha e Portugal. Trabalha no ensino (Salsa e Bachata, Merengue e chachacha) através de oficinas realizadas em festivais. Trabalhou como professora na academia “Danças do Mundo” com Afonso Costa, e na Casa da América Latina (Lisboa, PT). Dedica-se ainda às danças de salão de competição e bailes sociais.

Rancho Folclórico e Etnográfico Danças e Vozes da Aldeia

O “Danças e Vozes D’Aldeia” foi criado em fevereiro de 2012, e teve como suporte a festa de final de ano do Jardim de Infância que, com a colaboração do grupo de cantares efetuaram a primeira atuação do que se veio mais tarde a tornar no “Rancho Folclórico e Etnográfico Danças e Vozes D’Aldeia”. Dirigido e fundado por Natália Silva, é constituído sobretudo por jovens, embora atualmente integre também dançarinos adultos. Apesar dos poucos anos de existência, nos últimos 3 anos começou a participar em Festivais de Folclore.

www.facebook.com/profile.php?id=100026576599961
Vídeos

Trioafectus

O Grupo Trio Afectus, é um grupo constituído por músicos da região Dão/Lafões. Foi fundado dia 1 de outubro de 2017 e desde então que garante qualidade musical na animação da cerimónia religiosa e outros eventos com uma apresentação formal e de requinte.
Interpreta músicas Clássica, Litúrgica, Pop/Rock, Temas da Disney, etc.
As combinações instrumentais são flexíveis e podem incluir Canto, Piano, Violino e Flauta, primando assim por apresentações requintadas e elegantes!

www.facebook.com/trio.afectus.9

Manuela Fernandes

João Raposo

Ângelo Rocha

DJ Ritmondo

2 agosto

Celina da Piedade

Quem já a viu em concerto reconhece-lhe o imenso carisma. Celina da Piedade tem levado o seu acordeão e a sua voz até aos mais diferentes contextos, algures entre as formas e cores tradicionais, em viagens pelas memórias da música de raiz portuguesa e um sentir mais moderno e universalista. Desenha uma música cheia de alma e de personalidade, que, em palco, ganha com a sua formidável presença. Pelo facto de Celina da Piedade cantar o sul como poucos tem sido convidada a levar a musica Alentejana aos mais diversos pontos do globo destacando-se, entre outros, Argélia, Brasil e Espanha. Recentemente ficou classificada em 3º lugar no RTP Festival da Canção 2017 com o tema “Primavera”.

www.celinadapiedade.com
www.facebook.com/celinadapiedadeoficial
www.youtube.com/user/celinapiedade
www.soundcloud.com/celina-da-piedade

No Mazurka Band

No Mazurka Band têm como aposta dar força ao baile (português) e aos instrumentos que falam a nossa língua, como a flauta de tamborileiro e a viola campaniça. Começando nos Viras (Minho) e Corridinhos (Algarve), passando pelas valsas (do Oeste a Trás-os-Montes), Repasseados, passo dobles, Rumbas ou modas alentejanas, e terminando nas composições fresquinhas, os NMB “arranjam” as músicas com instrumentos melódicos, originando surpreendentes harmonias de cada vez que o passo de dança recomeça. Campaniça, Gaitas (Galega e de Trás-os-Montes), Rauchpfeifen, vozes e Flautas de três buracos alternam com tamboril, pandeiro e caixa para dar dinâmica ao baile, fazendo do acústico o material de construção e reinvenção dos temas Portugueses.
Discografia: A-DO-BAILE (2009) Ed. Pé de Xumbo/NMB
António Bexiga: Viola Campaniça, Coros
Diogo Leal: Gaita de Foles, Flauta de Tamborileiro
Paulo Pereira: Flauta de Tamborileiro, Flauta Travessa, Rauchpfeifen, Coros
Ricardo Falcão: Percussões tradicionais, Coros

www.facebook.com/NoMazurkaBand

Telmo Santos

Desde pequeno que ficava fascinado com os videoclips do Michael Jackson e passava horas a tentar replicar os seus passos de dança. Na adolescência entrei numa companhia de dança amadora os B.C.M. e aí desenvolvi competências em vários estilos, mas principalmente no Hip-Hop Dance. Em 2005 fiz o curso Hip-Hop College, melhor aluno com 18 valores. Fui bailarino MTV Music Awards em 2005. Em 2007 venci o campeonato ibérico de Hip-Hop com a crew B.C.M.. Bailarino no Programa de TV “Achas Que Sabes Dançar”. Bailarino e coreografo Festival da Canção Júnior. Coreografo da artista April IVI. Professor OnStage Studios, Coreografo SoulXpression Crew.

www.facebook.com/telmofalcaosantos
www.instagram.com/telmo_hiphop

Marta Portugal Dias

É licenciada em Dança pela Escola Superior de Dança, e tem Diploma em Danças Tradicionais portuguesas e internacionais pela FMH. Há mais de 18 anos que se dedica às Danças do Médio Oriente, África e Danças Romani em diferentes países, valorizando a sensibilização de expressões tradicionais e contemporâneas. Tendo vivido na Roménia em diferentes comunidades ciganas e atuado em vários países, participou ainda em filmes, documentários, e debates em programas televisivos. É bailarina, produtora, diretora artística e professora de dança em diferentes contextos. Atualmente frequenta o Mestrado em Ensino de Dança na ESD.
Danças Diáspora Romani (Ciganas)
Desde segredos viajados de cultura cigana a um contexto criativo que apela à singularidade e expressividade de cada um, Danças Diáspora Romani abraça entre a tradição e a originalidade, uma dança plena de ritmo, expressividade e poesia. Estas danças surgem da pesquisa de aspetos fundamentais da dança rom (cigano) do Leste Europeu, incidindo essencialmente nas danças ciganas da Roménia e Rússia. Tendo como base o movimento tradicional rom (cigano), explora-se a sinergia das danças femininas e masculinas numa abordagem criativa.
Danças do Médio Oriente
Desde o folklore árabe, passando pela fantasia até ao pop árabe esta oficina aborda algumas modalidades distintas de Dança Oriental com o intuito de compreender o contexto em que se inserem e as diferentes qualidades, expressões e nuances que caracterizam cada uma.

www.facebook.com/martaportugaldias
www.facebook.com/dias.martaportugal

Colectivo Foice

FOICE
Ferramenta Simples, rudimentar, sem mais beleza do que a perfeita e necessária para cumprir o seu destino. Acutilante, desbravou o campo selvagem, trilhando sempre novos caminhos por entre as ervas daninhas. Companheira das ceifeiras, arma dos camponeses, escutou versos e sentiu sangue por entre o tempo que passou. E agora, depois do tempo, depois da História, talvez já não haja espaço para a foice no trabalho do campo. E agora um colectivo de músicos, novos cantadores de antigas ceifas, dar-lhe-ão guarida no corpo e casa na voz, gaita-de-foles portuguesas, bombo, caixa, timbalão, adufes e vozes; a música tradicional, em harmonia com originais, serão o embalo da mão que ceifa e a força dos corpos que tocam.
O Colectivo Foice
Somos muitos porque muitos são precisos para a Ceifa dos novos tempos. Muitas mãos numa mesma foice, calejadas de muitos e diferentes percursos. O corte só pode ser acutilante com a precisão de muitas experiências; a ferramenta só é útil quando tantos lhe afiam a lâmina. Trabalhamos todos e todas num mesmo repertório, tradicional, mas também com originais, para que Foice tenha a voz e o som das gentes actuais que cantam e tocam a música de Raiz. Em palco, representamos este colectivo com um grupo variável entre 5 a 7 músicos, consoante as necessidades específicas do espectáculo. Mas nas nossas mãos e bocas, cantam todos e todas que são Foice. A possibilidade de vários músicos aportarem a sua visão e experiência ao colectivo, na construção de um repertório solido, ondulante, consciente e cuidado é uma mais valia da estrutura criada em Foice. Cada um e uma traz o que tem, o que sabe e o que é. Relembramos assim, na qualidade ímpar do que de bem se faz actualmente, a união faz, realmente, a força.

www.colectivofoice.pt
www.facebook.com/colectivoFoice

Baião Kids

Quando foi a última vez que brincou de ser criança? O Bailinho Encantado é um momento de partilha inédito, onde todos se tornam crianças. Não há adultos na sala, existem sim, crianças crescidas que vão voltar a divertir-se com os mais novos. Uma história cheia de ritmo, sons e muita dança onde todos podem ser o que quiserem. Venha daí, embarque na aventura de conhecer esta alucinante história com muito ritmo brasileiro e pozinhos de perlimpimpim.

Matia Losego

Matia Losego é italiano, das Dolomiti, montanhas dos Alpes, mas já está em Lisboa há uma década. Acredita que tem contos nos bolsos e outros na barriga. Nas suas aventuras vai juntando os primeiros, tira-os e conta-os quando precisa deles ou quando muda de calças. Paga a dívida, com gosto e respeito, para com a tradição oral da sua terra contando as histórias que tem na barriga. Gosta de histórias de vida, da ironia e do surrealismo, do cansaço depois da última palavra.

www.facebook.com/matiaacontar/

Ana Lage

Ilustradora de interiores e escultora de palavras…
Nascida em 1966, corre-lhe o Minho nas veias. Depois de andar pelo universo das artes visuais, inicia-se na narração oral em 2006, integra a bolsa de Contadores da Biblioteca de Oeiras. Em 2009 faz uma pós-graduação em Livro infantil na Universidade Católica. Criadora e mentora de projectos de promoção de leitura apoiados pela fundação Calouste Gulbenkian, colaborou com a Fundação do Gil e trabalhou com jovens em risco num centro educativo integrada na equipa do “Projecto Mala” do Chapitô. Colaborou no programa de teatro radiofónico “Folhetim da Mariana” na antena 1. Desde que se iniciou neste percurso tem vindo a participar em Festivais de Narração em Portugal e no estrangeiro. O seu repertório baseia-se no conto tradicional e em histórias de vida que são aromatizadas de cantigas e outros elementos de raiz etnográfica. Recolhe contos e cantigas no Minho e no interior do país.

www.facebook.com/favinhas

Cerci Braga

Dançar com e na diversidade é o maior propósito desta Companhia.
A dança é o veículo privilegiado para a aquisição de competências artística, pessoais e sociais.
A Companhia, residente na CERCI Braga, é um laboratório experimental de fusões de expressões artísticas com os bailarinos e com diversos convidados, promovendo a equalidade.

Sérgio Cristo

SIMRAN MANTRAS
Um concerto de mantras onde serão explicados os mantras, os seus efeitos e suas diferenças, tudo decorrerá em simultâneo, num concerto onde todos participam e terão a oportunidade de experienciar o verdadeiro efeito da vibração proporcionada pelos mantras. Uma nova visão dentro do contexto da música da Nova Era. Para todas as idades dos 0 aos 100. Duração: 1h30m
Existe um espírito suave em toda a música de Simran, os sons delicados da guitarra e da voz de Sérgio Cristo, juntamente com os sons rítmicos da percussão de Igor Santos.
Sérgio Cristo, professor de Yoga e Musicoterapeuta desde 2008 com 2 discos lançados, liderou diversos projetos como os Sons Mágicos, Esthesia, Asanas ao Ritmo do Som e Tribal Gong.
Igor Santos, multi-instrumentista e construtor de instrumentos percussivos, iniciou a sua autoformação em 2001 em instrumentos primordiais como Didgeridoo. Dentro do conceito Oriental, Simran mostra uma sinestesia inovadora que representa um novo ciclo no processo evolutivo da música da nova Era.
Participação no Festival Zimp Braga, Feira Alternativa de Lisboa, Lisbon Yoga Festival, Festival Andanças Castelo de Vide, Eco Festival da Planície Beja, Festival Zen 2017, Encontro Alternativas de Sintra 2015 e 2018, Festival Tradidanças em São Pedro do Sul 2018, Terra Mãe Eco Festival em Fafe, 2018.
As canções expressam o desejo de unificar o ser interior com o ser universal, um estado meditativo constante que te leva a experienciar o estado Simran. A música dos céus unindo-se com o mais puro sentimento. Esta é a fusão entre o verbo e a música eterna, é o momento em que passas a viver continuamente focado no amor do teu coração.

Rancho Folclórico Juventude de Villeneuve-Le-Roi com os Vouguinhas      Rancho Folclórico de Carvalhais

A Association Culturelle et Sportive Juventude de Villeneuve-le-Roi é uma entidade que representa a Beira-Alta, a aldeia de Candal, distrito de Viseu, mais conhecida como a região de Lafões. Preservando a nossa identidade sociocultural, criou o Rancho Folclórico Juventude de Villeneuve-Le-Roi numa procura e divulgação genuína da vida, dos hábitos, usos e costumes de outrora.
O grupo de concertinas Os Vouguinhas, teve início numa primeira atuação em Valadares, concelho de São Pedro do Sul, de onde é originário, e a partir daí iniciou-se o grupo, ficando marcada a nossa fundação a 14 de maio de 2016.
No primeiro ano, o grupo era constituído por apenas dois elementos: Lúcia Figueiredo, natural de São Pedro do Sul, e Tiago Dias de Sejães, concelho de Oliveira de Frades. São estes os fundadores, que se conheceram numa escola de música que frequentavam, e que deram origem ao grupo.  Mais tarde, entra Samuel Almeida, natural de Carvalhais e, em 2017, ingressaram mais dois elementos: Ângela Ferreira, da freguesia de Figueiredo de Alva, e Leandro Peixeiro, de Mosteirinho. 
Por fim, Francisco Cardão de São Pedro do Sul junta-se ao grupo, sendo esta a sua formação atual.
Os Vouguinhas interpretam temas variados, desde cantares ao desafio, viras, rusgas, músicas antigas, modernas e temas originais, como as letras e as melodias. São um grupo jovem com idades entre os 15 e os 20 anos, e todos se empenham em preservar as tradições musicais portuguesas.
Movido pelo carinho e amor que recebem de todos os que os ouvem e apoiam, este grupo pretende continuar a espalhar boa disposição e alegria através da música tradicional que levam a todo o país e além-fronteiras, animando festas e corações!

www.facebook.com/JuventudeVLR
www.facebook.com/Os-Vouguinhas-1587954224834680

Marta Coutinho

Oficinas para famílias onde vamos criar mini coreografias a partir de tudo um pouco: movimentos do dia-a-dia, danças do mundo, ritmos e dinâmicas variados, objetos, histórias, ideias espalhafatosas, gargalhadas e por aí fora…
Dancemos!

www.youtube.com/channel/UCeR2mnKme26W0k8sT29NarQ
www.facebook.com/martapereiracoutinho

Ana Martins e Custódia Oliveira

Krsnansda

Dada Shivananda

Dj Enrique Matos

As músicas que embalam as pistas de dança mundo fora estarão presentes no Tradidanças. Do contemporâneo ao Vintage, Enrique convida-nos para uma viagem musical dançante que nos levará das raízes às folhas da música popular brasileira! Xote, Baião, Arrasta-pé, Côco, Maracatu e muito Forró Pé de Serra! Espaço Baião

3 agosto

Omiri

Omiri é um dos mais originais projectos de reinvenção da música tradicional portuguesa. Para reinventar a tradição, nada melhor que trazer para o próprio espectáculo os verdadeiros intervenientes da nossa cultura: músicos e sons de todo o país a tocar e a cantar como se fizessem parte de um mesmo universo. Não em carne e osso, mas em som e imagem, com recolhas transformadas e manipuladas em tempo real, servindo de base para a composição e improvisação musical de Vasco Ribeiro Casais. Também se propõe um baile onde todos os temas tocados são dançáveis, segundo o ritmo e o balanço das danças tradicionais e não só (Repasseados, Drum n’bass, Malhões, Viras, Break Beat, Corridinhos…). Omiri é, acima de tudo, remix, a cultura do século XXI, ao misturar num só espectáculo práticas musicais já esquecidas, tornando-as permeáveis e acessíveis à cultura dos nossos dias, isto é, sincronizando formas e músicas da nossa tradição rural com a linguagem da cultura urbana. Em Omiri a música e cultura portuguesa é rica e gosta de si própria. Vasco Ribeiro Casais: Manipulação de vídeo em tempo real, programações, Cavaquinho, Nyckelharpa, Bouzouki costumizado, Gaitas-de-fole Portuguesas.

www.omiri.eu
www.facebook.com/omirisound
www.soundcloud.com/omiri-455514831
www.youtube.com/channel/UCR7wBIv4FxYqqDUWTdPl3uw/videos
www.instagram.com/omiri_official

Bangang Percussões

A BANGBANG PERCUSSÕES, fundado por André Soares, nasce da vontade de adquirir um maior conhecimento sobre o folclore tradicional das diferentes culturas existentes na Costa Ocidental Africana e Africa Austral. Nos últimos 20 anos tem vindo a desenvolver um forte trabalho nas áreas da investigação em Africa, formações, espetáculos e pesquisas sobre história, ritmos, danças, mascaras tradicionais e contemporâneas existentes nestes países. Organiza anualmente diferentes encontros Culturais Nacionais e Internacionais com formadores Africanos e Europeus residentes em Africa e na Europa, visando o apoio e divulgação desta herança cultural. Este ano vem participar no Festival Tradidanças, presenteando-nos com duas oficinas de dança da costa Ocidental africana, e uma apresentação formato animação do trabalho desenvolvido nas 2 oficinas. A sua equipa é composta por 3 músicos percussionistas, André Soares “Dez”, Pedro Petronilho, Rodrigo Cordeiro e a professora de danças Africanas Marisa Paulo.

www.facebook.com/bangbangpercussoes
Vídeo

Kritika Thakur

Kritika Thakur é uma artista, professora de dança e coreógrafa indiana e há mais de 9 anos que trabalha na indústria da dança e do entretenimento. Tem formação nas áreas do Jazz, Ballet, Dança Contemporânea, Jazz Moderno, Bollywood, High Heels, Dancehall e Street & Funk. Trabalhou com diversas celebridades e coreógrafos de Bollywood em Mumbai, na Índia, e como protagonista feminina em musicais de Bollywood exibidos em todo o mundo. Tem uma experiência de mais de 1000 atuações ao vivo. Vive agora no Porto, Portugal e já trabalhou com várias escolas de dança e festivais em Portugal, Espanha e Itália, com suas aulas, oficinas e espetáculos.
Oficina de Dança Bollywood
A oficina de dança será feita ao som de músicas comerciais de dança Bollywood. A grande evolução ocorrida na indústria de Bollywood nos últimos 15/20 anos faz com que nesta oficina haja uma mistura de movimentos antigos e novos sendo que estes movimentos, feitos ao som dos ritmos indianos, envolvem muita coordenação corporal. Na oficina serão ainda ensinados alguns mudras e movimentos corporais tradicionais e clássicos. As danças Bollywood são cheias de energia, drama e muita diversão, por isso esta oficina vai valer a pena.

www.facebook.com/Kritikathakurdance/
www.instagram.com/kritika_thakur

António Pedro Silva e Inês Pinto Cardoso

Os Toques do Caramulo reinventam-se continuamente, fazendo música nova das velhas cantigas e levando o público a surpreender-se com o repertório esquecido da Serra do Caramulo. Com amplo reconhecimento nacional e internacional, este é um espetáculo de forte energia musical e interação com o público, fazendo de cada concerto uma grande festa para todas as idades.

www.facebook.com/apmcsilva
www.facebook.com/dancartepsines

Tânia Safaneta

Oficina de Dança Clown
Este é um convite para dançar com alma e coração, libertar o corpo do conceito de qualquer tipo de dança. Movimentar o corpo sem pensar, sair da zona de conforto, brincar com o movimento. Pode até ser uma explosão de movimentos, um corpo estático ou um simples olhar dançante.
Duração de 50 minutos

www.facebook.com/safanetaclown/
www.instagram.com/taniasafaneta_clown/

Mariana Dias

Neste workshop prático e interativo, serão abordados os aspectos fundamentais e estilos da Commedia dell´Arte a partir da fisicalidade das personagens Zanni (os Criados), Innamorati (os Apaixonados), Capitani (os Capitães), Vecchi (os Velhos) – e suas relações entre si. Conheceremos as máscaras de cada personagem. A partir das personagens da Commedia dell’Arte, improvisaremos pequenas cenas entre personagens com música e dança criadas pelos participantes. Como se movem e dançam estas personagens?

www.maricrupitheatrecompany.wordpress.com

Pradiante Atelier de Arte Infantil

O Pradiante Atelier de Arte Infantil é o atelier da criatividade!
Aqui, narramos estórias – Aventuras do Roberto – e salpicamos com atividades de artes plásticas, acrobacias e slackline.
São momentos de partilha, presença e diversão entre os miúdos e os seus graúdos. Encorajamos todos a vivenciar as artes e a dar asas à imaginação.
O Roberto é um monstrinho cheio de peripécias, felizmente o seu amigo Pradiante, que é um passarinho, está sempre disposto a ajudar. O Roberto traz ao Tradidanças duas das suas aventuras Ao Sabor das Minhocas e Onda Gigante. Junta-te a ele e descobre como ele supera os desafios.
Esperamos por ti!

www.pradianteatelier.wordpress.com

Tito Alho

Investigador, curioso, aventureiro e explorador de novas experiências, participou em várias atividades, cursos e workshops ligados ao corpo e à mente, particularmente as terapias ligadas ao toque, massagem e movimento. A sua formação inclui ainda um mestrado em Educação Física e Desporto no Ramo Exercício e Bem-estar, osteopatia nas suas diferentes abordagens, massagens e terapias manuais. É personal trainer, e praticante de vários estilos ligados ao hip hop e contacto de improvisação.
Cosmic Body Flow – All in one
Inspirado em várias modalidades de movimento, exercício, dança, relaxamento, terapias e atividades espirituais/energéticas. Cosmic: Conceito sempre em crescimento, que se inspira num número grande de abordagens e nutre toda a identidade do ser; Body: Integra e desenvolve cada partícula do corpo de uma forma específica e global, desde o corpo físico ao espiritual; Flow: Permite fluir de várias formas, através de diferentes caminhos e interações.
Movement Journey
É uma viagem pelas várias formas, conceitos e tipos de movimento. Tem como objetivo o crescimento, o desenvolvimento e a melhoria dos seus participantes através da experimentação, exploração, aprendizagem, criação e improvisação de movimentos. Na improvisação, os movimentos são, por vezes, desfragmentados em elementos/técnicas retirados de todas as formas ou formatos de movimento que tenham um contributo significativo para os praticantes.

www.youtube.com/user/all4alight
www.facebook.com/tito.alho
www.facebook.com/Amptmove
www.facebook.com/Cosmicbodyflow
www.facebook.com/MassagensSaldanha
www.facebook.com/MovemntJourney
www.facebook.com/Fightforfunconcept

Inês Caeiro

Desde muito cedo que a DANÇA faz parte da minha vida. 
Em 2009 comecei o meu caminho de descoberta interior passando por várias áreas de desenvolvimento humano. 
Em 2010 conheci e apaixonei-me pela BIODANZA, sentindo o que é chegar a “casa”.
Sentimento que até hoje perdura e desde então esta relação tem sido construída dia após dia, transformando-se num amor profundo. O AMOR pela VIDA.

www.inescaeiro.com
www.facebook.com/biodanzainescaeiro
www.instagram.com/biodanzainescaeiro

Gapafit

Powergapa é uma aula super dinâmica e motivante em que usamos exercícios apenas com peso do corpo. Tem um dispêndio energético acima da média e consegue-se adaptar durante a aula a todo o tipo de público – PARA TODOS OS NIVEIS GapaRelax: baseado nas técnicas do pilates, visa o total e completo controle e conexão entre corpo e mente, devolvendo e restaurando a saúde dos praticantes a vários níveis, assim como promovendo um aumento da qualidade de vida – Mente sã, corpo são.

www.facebook.com/gapafitOF
www.instagram.com/gapafitoliveira

Rancho Folclórico de Carvalhais

Carvalhais sempre foi uma terra ligada às danças, andanças e contradanças… As músicas e as danças tradicionais passavam de geração em geração. Porém, nada formalizado, nem constituído. A 25/07/2017, um grupo de pessoas, motivado pelas fortes raízes que têm à sua terra e incentivado pela vasta cultura local, decidiu criar um rancho folclórico e constituir uma identidade. Uma marca da cultural tradicional de Carvalhais, que pretende dignificar esta terra da dança.


Vídeo

Grupo Coral da Igreja Paroquial de N.S. da Conceição de Igreja Nova, Mafra

Este grupo coral é o responsável pela animação da Eucaristia Dominical na Igreja Paroquial e, como tal não é possível ter uma data certa da fundação do mesmo. Provavelmente terá a mesma idade da construção do templo.
Desde 2009 é dirigido pelo músico Hugo Janota, com o qual apresentam um concerto anual nas festas da sua padroeira, Nossa Senhora da Conceição.
Com um repertório vasto e variado, apresentam temas de Marco Frisina, Bach, Mozart, entre outros.
O seu objetivo é dar vida às palavras de Santo Agostinho “Quem canta reza duas vezes!”

Vitor Tavares e José Gomes

Alda Pereira

Pedro Sobral de Carvalho

Dj Gaiteirinho

Músico e DJ é bastante conhecido por trazer aos palcos de festivais, bares e festas, os sons da World Music e Folk, levando o publico a viajar por paisagens sonoras que vão desde a Folk Europeia à música dos Balcãs, Africa, Oriente, América, etc.. São Sets de muita música variada dedicada sempre ao evento e com momentos onde introduz os seus instrumentos, tocando ao vivo.

www.facebook.com/DjGaiteirinho

4 agosto

Charanga

A Charanga é um projecto de criação e performance musicais. Na era digital e cultura actual, fazem uso de computadores, beatboxes, sintetizadores, ferramentas virtuais e influências musicais globalizadas, mas também o tambor, a gaita-de-fole, o violino, o bandolim, a D. Ermelinda que canta a Moda da Ceifa e os adufes. O repertório é maioritariamente original, sendo complementado com variações, versões e deambulações inspiradas nas construções melódicas, harmónicas e rítmicas do cancioneiro popular português e galego. No espectáculo multimédia, para além da música que está no centro da performance, há uma forte componente teatral em que os músicos assumem o papel de três personagens fictícias com uma estória de vida, encontros e desencontros. Contamos também com uma VJ que complementa o espectáculo com imagens de recolha, vídeo generativas e de síntese gráfica.

www.charanga.pt
www.charanga.bandcamp.com
www.youtube.com/CharangaPortugal

Folkyou

Definir FolkYou é como escrever a receita de um crumble crocante!
Ingredientes:
– 300 gramas de bateria
– Uma concha de guitarra
– Pepitas de concertina
– Umas raspas de violino
– Uma pitada de baixo
Misturar tudo num estrado untado com manteiga, mexer bem para obter uma massa vigorosa!
Nesta base, adicionar:
– Um toque de especiarias orientais para obter um sabor exótico
– Canela e caramelo para a mazurca
– Um pouco de limão para despertar o paladar e espicaçar os dançarinos
– Um trago de manouche para fazer levantar o público
– Bolhas de jazz para inebriar
Levar ao forno para se obter um baile quente!
Um grupo de folk que fará todos dançar e redescobrir a música trad.

www.folkyoursist.wixsite.com/folkyou
www.facebook.com/Folk-You-142160165815075

Bota Swing

Lindy Hop
Dança social altamente energética, com uma enorme riqueza coreográfica e improviso. Surge no Harlem, Nova Iorque, na década 1920. É um estilo com raiz africana e dança-se ao som contagiante do swing.
Blues
Uma combinação de danças e movimentos que nasceu na comunidade negra nos Estados Unidos nos finais do século XIX e inícios do século XX. É uma dança a pares altamente expressiva, cheia de liberdade de movimento e com muito espaço para o improviso na conexão com o outro e movimento do próprio.

Vídeos

Dancing Strings

Os Dancing Strings são um projecto vocacionado para o contexto de baile de danças tradicionais europeias. Criados em 2004, fazem apresentações pontuais, elevando sempre a expectativa do público, que está já acostumado a embarcar em viagens intensas pelo seu extenso repertório de mazurkas intimistas, valsa assimétricas, bourées estonteantes, círculos swingados, polskas poderosas e muitas outras danças de origem europeia. Já considerado ‘grupo de culto’, os Dancing Strings são: Denys Stetsenko, Hugo Fernandes, Luís Peixoto e Baltazar Molina.

www.facebook.com/DancingStringsFolk

Orchestra Tavola Tonda

A Tavola Tonda Orchestra surge da Escola de Música e Dança Tradicional da associação cultural Tavola Tonda, em Palermo, na Sicília.
O seu repertório é uma verdadeira viagem pela cultura do sul da Itália, que dá especial atenção à música siciliana. Daí surge o fest’abballu, que tradicionalmente deveria encerrar a época de trabalho e celebrar uma nova.
Hoje em dia propõem novamente este modo de celebração através da sua orquestra, tocando músicas tradicionais para dançar, que são orientadas pelo nosso professor de dança. No palco estão entrelaçados instrumentos tradicionais como tambores de armação, zampogna e outras gaitas-de-foles (gaita-de-fole galega e inglesa), lira calabrese, friscaletto (flauta siciliana tradicional), marranzano (harpa judaica), chitarra battente, acordeão diatónico e instrumentos da cultura erudita como guitarra, contrabaixo, acordeão, violino, bandolim, flauta transversal e diferentes tipos de percussão, assim como as suas bonitas vozes.
Além disso, propomos oficinas de dança, aulas de pandeireta e de harpa judaica.

www.tavolatonda.org
www.facebook.com/ArciTavolaTonda

Bailómondo

Pelas culturas portuguesa e europeia, prometemos uma viagem pelos meandros das tradições, sempre com uma pitada actual. A rabeca chuleira e a gaita-de-foles encontram-se à esquina com o acordeão, as percussões, o violino e as flautas, e através da dança, a partilha surge entre o palco e o público. Levantem o pó do chão, pois a dança e a música unem-se para resgatar algo genuíno e forte!

www.facebook.com/bailomondo
www.popolomondo.pt/bailes-folk
www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=SacqNUodd9k

Palhaçuvátombê

Um homem muito tranquilo, calmo e silencioso, mas daqueles palhaços que no trânsito, mesmo fazendo uma fila de dois quilómetros, ainda nos olham com um sorriso ingénuo e aluado! Neste palco vai-nos (tentar) mostrar as suas (in)capacidades de ilusionista, de sedutor, de arruaceiro, mas principalmente o seu verdadeiro “espírito de Natal”… Carnaval, Páscoa, Férias de Verão… ele adapta-se, gosta é de festas!

www.benditodesign.pt
www.youtube.com
www.facebook.com/zepedroramos

Inês Vieira

ASANAS AO RITMO DO SOM
Os Asanas ao Ritmo do Som é uma aula de Yoga com música ao vivo construída para Festivais e um elevado número de participantes, tendo como objectivo mostrar que o Yoga pode ser muito dinâmico, muito divertido, abrange toda a família, é super descontraído, e que abraça na perfeição o contexto festivaleiro alternativo, mas também pode ser levado a associações, etc…
“Asanas ao ritmo do som”, é uma prática de yoga segundo Yogi Bhajan com música ao vivo, em que o teu corpo, mente e alma vibram em perfeita harmonia. A poderosa tecnologia do yoga funde-se com a mais antiga forma de cura, o som, formando a sinestesia perfeita. Yoga é uma tecnologia ancestral, muito mais que um sistema de exercícios físicos, yoga é uma dinâmica e poderosa ferramenta para expandir e ativar o potencial individual. Cada pessoa tem 3 facetas: o corpo, a mente e a alma. Ao estimular a energia nestas 3 facetas, o praticante de Yoga começa a explorar a sua profundidade e a sua natureza, e a compreender a relação entre a sua existência e o universo, tornando-se numa pessoa íntegra, equilibrada e verdadeira na sua vida quotidiana

Igor Santos

Igor Santos (yidji), multi-instrumentista e construtor de instrumentos percussivos, apaixonado pelo som e pela vibração primordial, iniciou em 2001 a busca pelo princípio do som encontrando assim a precursão o Didgeridoo.
Oficina de Didgeridoo
O didgeridoo é um instrumento dos aborígenes australianos da família dos sopros originalmente feito de madeira dura e que pode ter entre 1 a 2 metros. Possivelmente o instrumento musical mais antigo do mundo. Considerando pinturas rupestres encontradas, estima-se que exista há aproximadamente 40.000 anos. Atualmente pode ser encontrado em PVC, fibra de vidro, crystal ou até em Cartão. O som é produzido pela vibração contínua dos lábios, através de uma técnica de respiração circular. Esta exige a respiração através do nariz enquanto que, ao mesmo tempo, a expiração deve ser feita pela boca usando a língua e as bochechas.
A oficina propõe:

1. Como construir:
Utilizando material reciclado e utensílios domésticos, propomos criar de forma fácil o didgeridoo em 3 passos: Cortar, Encaixar e Colar.

2. Como Tocar?
Serão apresentados e demonstrados aos participantes Exercício de Respiração, Vibração dos lábios, primeiros sons (Toot e Drone), Ritmo (ABC yidji), bem como práticas de meditação e relaxamento.

Sílvia Floresta

Horta Orgânica com os Princípios da Permacultura
Neste workshop iremos aprender, a cultivar os nossos vegetais, legumes e alguns frutos, como fazer o nosso composto orgânico, controlo biológico de ervas indesejadas, plantas companheiras, sementeiras, recolha e conservação de sementes, calendário de plantação, design em permacultura e muito mais!
Plantas Ornamentais Comestíveis
Neste workshop iremos aprender a desenhar um jardim com plantas “ornamentais”, com usos alimentares.
Recolha e Conservação de Sementes
Neste workshop iremos falar sobre a importância de recolher, conservar e semear as nossas sementes para horta, jardim, florestas, agroflorestas. Teremos sementes para partilha.

Grupo de Folclore Terras de Arões

integrada na Beira Litoral, sofre já as marcas serranas da sua interioridade, viu nascer, em 1997 o Grupo de Folclore “Terras de Arões”.
Sem certezas futuras, a verdade é que se deu início a um intenso trabalho de recolhas junto das comunidades mais idosas da freguesia e, uma após outra, as danças e os cantares de outrora renasceram, usos, costumes e modos de vida reavivaram-se e o Passado tem vindo a fundir-se com o Presente.
Está inscrito no RNAJ, filiado no INATEL e é membro efectivo da Federação do Folclore Português, integrando a região etnográfica do Douro Litoral Sul. Ao longo do tempo, tem desenvolvido actividades culturais de particular relevância e levado a palco, um pouco por todo o país e além deste, a cultura aroense.
Da sua história, salienta-se ainda a edição de livros e CD’s e a recriação de vivências de outros tempos, algumas com a total envolvência da comunidade. Os seus trajes, alfaias e ferramentas tentam ser fiéis reveladores de etnografia local, tal como o seu variado repertório e forma de apresentação.
Tem também vindo a desenvolver um valioso trabalho de recolha, preservação e divulgação de cantadas aroenses (canto polifónico) e canta janeiras pelas várias aldeias da freguesia de Arões desde a sua fundação.
“Teimamos preservar usos, costumes, vivências de outros tempos, porque acreditamos que conhecendo o Passado, se compreende o Presente e se prepara o Futuro, um Futuro certamente mais humano”.

Cantos de Candal

O grupo Cantos de Candal é um grupo informal que se junta para cantar, tal como acontecia antigamente, nas festas da terra. Começaram a sua atividade com mais regularidade na década de 2010, em Candal, São Pedro do Sul.
É um grupo vocal feminino formado por cerca de 8 elementos que cantam a três vozes reais: encher; descanto; e botar por cima.
Localmente, designam o seu repertório por “modas” e alguns exemplos são: “Ó meu bom Pai”; “Gato rebeubeu”; “Minas do Aido”; “Muito lindo é o céu”.
O Grupo tem como responsável Ana Martins.

www.anossamusica.web.ua.pt

Lúcia Ferreira

André Carapeto

IMAGENS DA EDIÇÃO 2019

pt_PT