banner 2022

EDIÇÃO 2022

4 agosto

Roncos do Diabo

Roncos do Diabo, formado por quatro gaitas-de-fole e um bombo, surge no ano de 2005, resultado de um percurso de pesquisa, recolha e construção de instrumentos musicais, iniciado pelos seus membros em 1998. Esta caminhada deu a possibilidade de se tocar várias Gaitas-de-Fole Portuguesas em conjunto, ou seja, afinadas entre si. Um som forte e envolvente é a proposta de Roncos do Diabo para a divulgação da tradição musical portuguesa. Tendo como objectivo principal a difusão da Gaita-de-Fole, Roncos do Diabo conta com vários espectáculos de norte a sul do país e além-fronteiras, despertando o interesse de diferentes gerações. Numa abordagem de fusão e actualização da música portuguesa, Roncos do Diabo apresentam um espectáculo de energia e explosão rítmica, proporcionando ao público verdadeiros momentos de FOLIA.
 
https://www.facebook.com/roncosdodiabo.music
 

Finfas de Nespereira

Os “Finfas de Nespereira” designam-se como um conjunto típico, oriundo das terras de
Montemuro, que surge da necessidade de animar, nas noites frias, as gentes desta região. Eram os chamados “bailaricos”, que ao longo do tempo se fizeram por toda a Serra do Montemuro, sendo o principal divertimento e forma de lazer das pessoas que ali viviam.
“Os Finfas” animam bailes e festividades, sobretudo os tradicionais Carnavais e as noitadas de festas religiosas. Nos dias de hoje, em que outros divertimentos surgiram, os “bailaricos” são cada vez menos frequentes, mas o grupo continua vivo, em grande actividade, animando os bailes e as festas sem nunca deixar morrer a tradição.
 
https://www.facebook.com/osfinfas
https://osfinfas.blogs.sapo.pt/

Monte Lunai

Os Monte Lunai são um grupo de sonoridade ímpar tocando músicas do mundo de inspiração tradicional.
Têm percorrido o país e participado em variados eventos, e a resposta tem sido muitíssimo positiva. Trata-se de um projecto muito interessante e original, que assenta
na música tradicional europeia (world music), cujo objectivo é também fazer com que o público participe nas danças que vão sendo demonstradas ao longo do espectáculo. O resultado é invariavelmente o mesmo e resulta na participação massiva dos espectadores, desde os mais júniores ao mais séniores.
Vivem para o palco e para o baile. O grupo conta com largos quilómetros de estrada em actuações de sucesso que primam pela participação do público, quer pelo entusiasmo, quer pela dança. Uma professora de danças tradicionais promove a ligação entre o público e o grupo animando e exemplificando as respectivas danças.
Todos vão querer dançar!
 
http://montelunai.com/index.php

Espaço Baião

O Espaço Baião – Centro Cultural e Escola de Dança convida todos a conhecerem o Forró, uma dança, um ritmo, um movimento proveniente do Nordeste Brasileiro dançado hoje nos quatro cantos do Mundo.  Enrique Matos e equipa do Espaço Baião prometem oficinas cheias de energia, muita música e baile para ninguém ficar parado. O encontro está marcado para o Tradidanças 2022!
 
https://www.espacobaiao.com/

Stomping at Six

Stomping at six é uma banda de swing jazz de Lisboa. Apaixonaram-se ao ver lindy hoppers a dançar no Jardim da Estrela e a partir daí decidiram fazer música para danças swing. O seu repertório passa pelo swing jazz dos anos 20,30 e 40 com arranjos próprios e uma energia contagiante. Já levaram o seu balanço a vários palcos por todo o país e também internacionalmente, os mais conhecidos Jardim de Inverno do Teatro S.Luiz, Hardclub, Armazém F, Festa do Avante,  Festival Andanças, Estúdios Time Out. O resultado destes concertos é música que vai desde os mais rápidos swings sincopados até aos mais espirituais e lentos blues, um espaço movido pela música com saias rodopiantes, muito improviso e gargalhadas.
 
https://www.facebook.com/STOMPINGATSIX/

Inês Caeiro

A Biodanza apresenta-se como um processo de transformação alquímica cujos ingredientes fundamentais são a Ciência, Arte e o Amor. Trata-se de uma metodologia com mais de 40 anos de existência, nascida no Chile e que se assume como um acelerador de desenvolvimento humano, integrando conceitos provenientes da psicologia, pedagogia, mitologia, dança e música com o sentido último de potenciar a identidade ao seu mais refinado grau de Integração, Beleza e Conexão.
 
https://inescaeiro.com/
https://www.facebook.com/biodannescaeiro
https://www.instagram.com/biodanzainescaeiro/

Canto a Vozes

Inserido no projeto Cultura Entre Pontes, o Grupo Canto a Vozes reúne um vasto leque de vozes femininas e masculinas de Sever do Vouga, Vouzela, São Pedro do Sul e Oliveira de Frades para dar voz e perpetuar a prática do canto polifónico, candidata a património cultural e imaterial da UNESCO.
Orientados por Teresa Melo Campos, Celina da Piedade, Joana Negrão e Carmina Repas Gonçalves em oficinas de canto polifónico o Canto Vozes, para além do reportório tradicional, apresenta novas composições contemporâneas compostas por músicos profissionais e inspirados em poemas de poetisas portuguesas.
 
https://www.facebook.com/ACROF.OF

Sofia Jorge

Sofia Jorge esteve durante longos anos dedicada ao Yoga e à dança contemporânea.
Posteriormente, sentiu apelo pelas terapias não convencionais, iniciando formações
em várias áreas, entre as quais, massagem ayurvédica, osteopatia, indian head massage, shiatsu, reiki, reflexologia e shantala. Da interligação e conexão entre as várias áreas de conhecimentos que possui, surge uma individualidade própria, cativante para quem a rodeia. Tem como foco o equilíbrio entre o corpo, a mente e o espírito, sempre presente nas formações e aulas que leciona.
 
https://www.facebook.com/sofiaibj
 
sofiaibjorge (Instagram)

Quint’Oficina

A Quinta Oficina, fundada a 18 de Abril de 2019, surge da vontade e sinergia entre vários artistas e técnicos de Viseu, comungando da mesma consciência e visão cultural/Social. Os seus fundadores e associados partilham da mesma vontade de trabalhar:
 
Na cooperação sociocultural para a natureza, residências, artes e ofícios. Na essência da criação das atividades, produtos e serviços, sempre com o propósito de se promover a criatividade, a experimentação, a produção e a partilha. Nas áreas tão diversas como a arte, a comunicação, o humor, o lazer, o património, a educação, o ambiente, o desporto, a saúde e o bem-estar dos indivíduos e suas comunidades locais e internacionais.
 
O que podemos esperar no Tradidanças?
 
“CONTENTÍSSIMO… a Residoença de Luxo”
Uma comédia crítica e profundamente pedagógica que faz refletir sobre o luxo de lixo em que vivemos. Esta é a história (in)feliz de um palhaço que vive contente. Uma comédia sem palavras que vai dar que falar. Um apelo cómico a uma mudança que se quer urgente.
 
CAIXINHA DE MÚSICA
Uma caixa(inha) gigante com gavetas misteriosas que guardam “jóias musicais e histórias infinitas”. A bailarina que lá deveria estar, foi dançar para outro lado, mas o seu amigo palhaço jardineiro ficou no seu lugar e com a promessa de bem usar a “corda” que lhe derem. O público escolhe, eles improvisam, mas fica aqui já um conselho: Não lhes dêem muita corda!!!
 
https://www.quintaoficina.pt/

Diana Azevedo

OFICINA “DANÇAS DO PÉ DESCALÇO”
Venham daí dançar comigo de pé descalço! Pode ser um só pé descalço…ou os dois… ou se preferires podes usar meias coloridas, daquelas que nos fazem pensar em arco-íris…Apenas te prometo que vamos andar com um pé no ar e outro no chão a bater, em busca de danças perdidas, e resgatá-las para um mundo mágico de euforia. Vai um pezinho de dança?
OFICINA DE DANÇA INCLUSIVA – AJUDANÇA E DIANA AZEVEDO
Baseado na exploração do espaço e da natureza orgânica dos diferentes corpos, nesta oficina cabem conceitos vastos de expressão corporal, sem nenhuma linha directiva definida. Esta oficina proporciona a todos os participantes igualdade de condições para desenvolver o seu potencial e criar possibilidades expressivas para que se sinta integrado, seja no eu ou no grupo, experimentando-se e experimentando o outro. A ideia é despertar para o movimento, sem barreiras corporais ou emocionais!
AJUDANÇA – ESPECTÁCULO SENTIR
A Companhia de dança inclusiva Ajudança, fundado em 2006, apresenta agora o seu novo espetáculo SENTIR. Baseado nos direitos na deficiência, o processo criativo passa por reconhecer as necessidades, limitações e aspirações de cada um dos bailarinos (com e sem paralisia cerebral) e, através da dança e do movimento, enquanto linguagem universal, abrir portas para a ideia de que a pessoa com deficiência é um agente ativo da sociedade, tanto na área social como na área criativa.
www.popolomondo.pt/dianazevedo
www.facebook.com/dianaleitaoazevedo

DJGaiteirinho

World Music e Folk
Músico e DJ é bastante conhecido por trazer aos palcos de festivais, bares e festas, os sons da World Music e Folk, levando o publico a viajar por paisagens sonoras que vão desde a Folk Europeia à música dos Balcãs, Africa, Oriente, América, etc.. São Sets de muita música variada dedicada sempre ao evento e com momentos onde introduz os seus instrumentos, tocando ao vivo.
 
https://www.facebook.com/DjGaiteirinho

5 agosto

Retimbrar

“Coisas da Minha Terra” é o primeiro avanço para o segundo álbum dos Retimbrar, de seu nome “Levantar do Chão”. A canção introduz-nos ao universo proposto pelo próximo disco que na sua pulsação, virá marcar passo, ao caminho percorrido na última década. E celebra o encontro entre Retimbrar, o Rancho Folclórico Tradições do Baixo Douro e os centenários Mareantes do Rio Douro, a quem se deve o ritmo que deu chão à canção. As palavras são do poeta gaiense José Guimarães, e foram reavivadas durante o projeto “Malhão de Gaia”, para o concerto de encerramento do evento “Gaia Todo um Mundo”, que em Outubro de 2017 não chegou ao público porque no mesmo dia foi decretado luto nacional pelos incêndios de Pedrógão Grande. 
“Coisas da Minha Terra”, é o tema que volta agora a ver a luz do dia, numa versão tão doce quanto pujante. Já o disco, esperamos por ele, não tarda, na Primavera de 2022.
 
www.retimbrar.pt

Aire

Através da recriação contemporânea dos sons tradicionais da Serra de Aire e Candeeiros, o grupo AIRE dá uma nova interpretação artística às músicas, mantendo uma estreita ligação com os impulsos necessários para uma boa dança. Aire está empenhado na salvaguarda e disseminação do património cultural e imaterial português, dando continuidade ao baile na comunidade. O grupo foi formado especialmente para dar estrutura musical ao “Projecto-piloto de Salvaguarda das Danças Tradicionais Portuguesas”, criado por Marisa Barroso. Depois de um período de pesquisa e intervenção com bailes na comunidade, Aire lança o disco “Danças de Porto de Mós”.
 
https://www.facebook.com/aire.bailetrad
https://www.instagram.com/aire.bailetrad
https://www.youtube.com/c/AIREbailetrad
https://links.altafonte.com/qdyay9r

JAM.PT

O trio JAM.pt apresenta música de baile trad, existindo desde 2013. 
Constituiu-se com intuito de divulgar a música e a dança portuguesa no contexto dos bailes e festivais de tradição europeia.
A sua grande energia, o ecletismo do repertório e uma sonoridade singular, são a sua grande força.
O primeiro CD “Pim Pam Pum” foi lançado em 2015 com repertório inspirado nas danças europeias, dando valorizando especialmente as danças de Norte a Sul de Portugal.
O grupo é composto pelo João no violino, pelo Abel no acordeão diatónico e na guitarra, pelo Matias no cajon e percussões. Os três músicos oferecem um espetáculo na forma de baile trad que, incluindo o ensino das danças tradicionais, estimula a participação do público, gerando invariavelmente uma atmosfera de festa e animação.
www.facebook.com/jampontopt
 
EN-CONTRA-DANÇAS – Mati@s & JAM. PT
Nos workshops/oficinas de danças tradicionais, pretende-se dar a conhecer as mais variadíssimas danças que fazem parte do repertório do grupo JAM. PT.
Sejam danças de roda, em quadrilhas, em coluna ou até de pares, quer Portuguesas, quer doutros pontos da Europa, recorre-se à transmissão de cultura, do ensino do passo-base, da técnica, da postura, da dinâmica e da movimentação num espaço de baile.
Uma viagem pelo mundo através da música e dança, com alegria, partilha e conhecimento.
 
www.facebook.com/matias.folkdance
www.facebook.com/jampontopt

Bota Swing

Bota Swing nasce em 2017 e é um projeto social de danças vintage afro-americanas Swing & Blues, com objectivo de fomentar a dança através da partilha, convívio e
organização de eventos.
O nosso ensino foca na exploração da conexão, improvisação e comunicação na dança a pares, mas também na evolução do individual. Criatividade, agilidade, expressão, compreensão musical e movimentação emocional são aspectos fundamentais do indivíduo, que o levam a melhor usufruir da dança a pares.
 
https://instagram.com/botaswing?igshid=NmZiMzY2Mjc=

André Madeira

André Madeira é professor de dança, coreógrafo e bailarino. Finalista do programa de
televisão “Dança com as Estrelas”, André Madeira irá levar ritmos latinos ao festival.
Reconhecido pelas suas aulas vibrantes e coreografias carregadas de uma energia contagiante, no Tradidanças vai dinamizar oficinas de Bachata e Chachachá. André Madeira é ainda fundador do projeto Dance at Home®
 
www.andremadeira.pt
www.facebook.com/André-Madeira-476216019255231
www.instagram.com/andremadeira1

Miguel Bento Pramod

Miguel Bento bailarino, improvisador, performer, buscador da vida. Dança e facilita práticas de Contato-Improvisação. Atualmente trabalha como psico-terapeuta corporal
de Bioenergética. Inspira-se em Osho e na sua própria experiência com índios da Amazónia e outras antigas culturas. Em 2000 Pramod Miguel Bento – Bionergetics &
Meditation cria o seu trabalho dos Encontros do Umbigo. Cada encontro será único, com meditação ativa Osho, Social, Bioenergética, tudo práticas físicas para soltar a rigidez do corpo e aceder a espontaneidade do individualiza com muito mais energia para a dança e claro para a Vida! Pelo caminho há conversas e, claro, muita dança! Dançar, confiar e celebrar.
 
 
http://www.Encontrosdoumbigo.com

Cláudia Fonseca

As histórias falam de muitas coisas, viajam de um lado para o outro e, na voz dos contadores, dão a volta ao mundo!
Nesta sessão, levo histórias que ouvi contar, histórias que li e não esqueci, histórias que vivi. Para onde quer que eu vá, elas andam comigo bem guardadas dentro da minha cabeça ou nos livros, mas também em malas, sacolas, talegos, caixas, caixinhas e até em sacos da padaria…
 
Sobre a narradora:
 
Cláudia Fonseca nasceu no Rio de Janeiro, mas tem suas raízes no nordeste de Brasil e de lá vem a sua voz de contadora. Vive em Portugal desde 1992, país onde se fez psicoterapeuta, narradora oral e dançarina há já uns bons anos. Co-fundadora e presidente da Contabandista de Estórias Associação Cultural. Investigadora do IELT – Instituto de Estudos de Literatura Tradicional, prepara o doutoramento em Estudos Culturais na universidade Nova de Lisboa, trabalhando entre a psicanálise e a narração. Partilha a vida profissional entre a clínica, a narração, a investigação e a dança, desenvolvendo inúmeras atividades no âmbito da narração oral, mediação de leitura e programação cultural, em contextos muito diversos. Participa regularmente em encontros e festivais, dentro e fora de Portugal. Traz na sua bagagem histórias de muitos lugares e tempos. Gosta de contos tradicionais e de autor, cantigas, histórias de família e casos, que compõem o seu repertório.
 
https://www.facebook.com/contabandistas.de.estorias

Convento

Uma formação versátil de inspiração histórica, que utiliza repertório e instrumentos de época aqui o ensemble ConVento apresenta duas propostas do conto à dança. Um agrupamento singular em Portugal com uma sonoridade muito própria.
 
https://www.orquestraxxi.pt/bios/2016/5/3/catarina-passos

Ajudança

AJUDANÇA – ESPECTÁCULO SENTIR 
A Companhia de dança inclusiva Ajudança, fundado em 2006, apresenta agora o seu novo espetáculo SENTIR. Baseado nos direitos na deficiência, o processo criativo passa por reconhecer as necessidades, limitações e aspirações de cada um dos bailarinos (com e sem paralisia cerebral) e, através da dança e do movimento, enquanto linguagem universal, abrir portas para a ideia de que a pessoa com deficiência é um agente ativo da sociedade, tanto na área social como na área criativa.
 
http://www.popolomondo.pt/dianazevedo
www.facebook.com/dianaleitaoazevedo

Viva Lab

VIVA Lab é um dos 2.000 laboratórios de fabricação digital da rede mundial Fab Lab que visa democratizar o acesso à invenção pessoal e colaborativa, utilizando tecnologias digitais para fazer (quase) qualquer coisa.
Um espaço aberto ao público com ferramentas manuais e digitais, para que possa desenvolver e materializar as suas ideias! Aqui combinamos a nossa experiência pedagógica e o desenvolvimento de produtos, com ferramentas tecnológicas do século
XXI e a cultura Maker.
Neste espaço criativo de excelência, temos a oportunidade de nos surpreender, colaborar com parceiros improváveis, correr riscos e experimentar coisas novas. Este ambiente de liberdade ajuda a mudar modos de pensar, a visualizar ideias e a pô-las em prática.
Vem dar vida às ideias que habitam a tua cabeça. Constrói o teu mundo em cartão com a ajuda de parafusos e ferramentas impressas em 3D.
 
https://www.vivalabporto.com/

Passos nos Rios

“Desde sempre que a Música tem vindo a ser um ponto fulcral na comunicação humana como potenciadora de emoções e ideias. Catarina Passos e Cristiano Rios exploram a versatilidade desta arte de forma multidisciplinar com o objetivo de alcançar o sublime na fusão entre a simplicidade sonora e a palavra.”
 
https://www.orquestraxxi.pt/bios/2016/5/3/catarina-passos

 

6 agosto

Seiva

Seiva é música de identidade portuguesa a mostrar a força vital da oralidade rural e da urbanidade. É um olhar feminino sobre a alma portuguesa, presente nas canções de trabalho, nas romarias, nos adufes e pandeiros, em instrumentos como o cavaquinho, a viola braguesa e as gaitas de fole, ritmos antigos e canções de fé, com especial ênfase nas mulheres que protegem, acolhem e conhecem todos os males. Estas Mulheres são de uma ancestralidade imemorial, também conhecidas por “Senhoras”: como a “Senhora do Leite”, “Senhora dos Remédios ou a “Virgem da Consolação”, invocadas em cantos que transformam a fé em verdadeiros actos de cura. Joana Negrão encarna cada uma destas “Senhoras” na sua performance e a elas se entrega com amor e devoção em cada canção. A raiz da identidade dos Seiva ganha ainda mais eco com Rita Nóvoa, que alia graciosidade e força nos tambores que fazem o coração bater mais forte. Ritmos que o tempo vai deixando para trás, mas que se reinventam em novas vidas e em novas texturas. Seiva também existe na viola braguesa, e no cavaquinho de Vasco Ribeiro Casais e olha em frente para desbravar novos caminhos, misturando a tradição com eletricidade sem pudores nem purismos.
Os Seiva fazem com que as raízes portuguesas ganhem um novo significado nos dias
de hoje.
 
https://repasseado.pt/
 

Telmo Santos

Telmo Santos foi bailarino MTV Music Awards e no Programa de TV “Achas Que Sabes Dançar” e coreografo do Festival da Canção Júnior, da artista April IVI e da SoulXpression Crew. Fascinado com os videoclips do Michael Jackson, Telmo Santos passava horas a tentar replicar os seus passos de dança. Na adolescência entrou numa companhia de dança amadora, os B.C.M., e desenvolveu competências em vários estilos, mas principalmente no Hip-Hop Dance.
 
https://www.instagram.com/telmo_hiphop/

Tambor Jíboia

Nascida na revolução digital das estrelas, TAMBOR JIBÓIA é uma ementa cósmica de ritmos e danças afro-brasileiras.
Uma bailarina e 3 percussionistas – oriundos de vários locais intergalácticos da esfera
dimensional (Portugal, Costa do Marfim, Israel e França) – são a mistura de sabores que
dinamizam esta ideia e que procuram, através da música e da dança, partilhar o despertar da consciência global.
 
http://wingakan.blogspot.com/

Pedro e Inês

Forró Cassino é a par e em roda. A música brasileira funde-se com as palavras do cantador. Ele é quem manda. Passo a passo, vamos de norte a sul do Brasil.
 
https://www.facebook.com/forrocassinoportugal/?locale=pt_BR

Associação de Fermontelos

O GRUPO RECREATIVO E CULTURAL DE FERMONTELOS surgiu de uma conversa entre amigos no decorrer do ano de 1985. O ano de 1986 consta como data formal da sua criação e inscrição no INATEL. A 07/05/1991 fez a sua inscrição como pessoa colectiva e a 28/08/1991 criou a Associação de Solidariedade Social à qual deu o nome. Organizou vários festivais de folclore ao longo dos anos, tendo também participado em vários de norte a sul do país, bem como em diferentes arraiais, festas populares e termais.
O GRUPO RECREATIVO E CULTURAL DE FERMONTELOS possui um espólio de cerca de 30 danças, algumas cantigas e outras animações características da terra que acompanhavam os trabalhos agrícolas. As suas danças, cantares e trajes são caracteristicamente tradicionais dos séculos XVIII e XIX e retratam a etnografia local sendo o seu principal cartão-de-visita.
 
O Grupo Ementar as Almas da Associação de Fermontelos, pratica uma tradição com mais de 300 anos. Durante o tempo da Quaresma e na Semana Santa percorre a aldeia a cantar em quadras e a rezar em vários pontos até ao nascer do sol. Os habitantes são acordados pelas cantigas de apelo ao sentir a morte e Paixão de Cristo, lembrando as almas dos que já partiram. Antigamente eram apenas os homens que cantavam; hoje em dia o grupo é construído por homens e mulheres.
 
https://www.facebook.com/assgrc.fermontelos.7

Música Vegetariana

Música Vegetariana, é um projecto de viagens sonoras que explora instrumentos e sonoridades de todo o planeta, com o intuito de proporcionar tanto a fruição sonora por ela mesmo, como o relaxamento, a meditação e também a terapia, dependendo tanto do contexto em que se desenrola, como da intenção da actuação e de quem assiste à mesma.
É composto por dois músicos multi-instrumentistas, Tiago Veloso e Pedro Cravo, que vão tocando e guiando a viagem ao mesmo tempo ou alternadamente, em que a base instrumental é a Kora, o Hand-drum, as Guitarras, as Flautas Indianas, Peruanas e Nativo-Americanas, bem como as vozes, a que juntam gongos, taças Tibetanas e de cristal, xilofone, balafon, instrumentos de percussão vários e sons da natureza não gravados.

Sofia Moniz

Sofia Souto Moniz é contadora de histórias e bailarina. Visita escolas e bibliotecas com
as suas “histórias com cor e movimento/contos do mundo” e os seus livros, desde 2009. Colabora com diversos grupos e associações em teatro amador, recriações históricas, teatro de rua e dança oriental.
Porquê contar e ouvir histórias? Contar uma história é levar os outros numa viagem conjunta. É ir o passado e encontrar pistas para a compreensão do presente, é fundear os pilares para que faça mais sentido adentrar o futuro. Contar uma história é lembrar quem somos e de onde viemos, é descobrir o outro na sua diferença e na sua riqueza, abrindo portas para a compreensão. Contar uma história é viajar por lugares e abrir janelas para experiências e dar passos para descobrir o mundo. Contemos, pois; histórias e viajemos nelas.
 
http://pedraesmeralda.blogspot.com/

Elvira Silva

Elvira Silva é apaixonada pelo mundo da arte, faz das estórias o ingrediente de vida.
Sozinha ou com Companhia leva malas recheadas de livros prontos para viajar para
qualquer lugar!
https://www.facebook.com/elvira.silva.56
https://www.facebook.com/elviraecia

Prashantam

Prashantam é Terapeuta de Osho e tem orientado workshops e formações, caminhos
de cura, retiros de meditação Zen em silêncio, sessões individuais e grupos de crescimento pelo mundo inteiro.
 
Divine Healing
Exercícios e movimentos complementados com respiração apropriada. Os exercícios de divine healing são inspirados em técnicas   de meditação chinesas e japonesas para nutrir o “chi”. Conhecido como chi-gong na China e shin-tai-do no Japão, foi adaptado às necessidades do homem moderno por Prashantam. São exercícios fáceis que combinam a respiração com o movimento e excelentes para a saúde, a flexibilidade, fortalecem o sistema imunológico e podem ser praticados por todos!
 
Meditação, o que é?
Porque é que meditar melhora a tua vida, a tua saúde, aumenta a alegria e celebração
em tudo o que fazes? Qual é a técnica mais adequada para o teu estilo de vida? Vem conhecer formas simples e efetivas de incluir meditação no teu quotidiano. Vais descobrir que é bem mais fácil do que imaginas e com resultados imediatos.    
 
https://www.prashantam.com/pt/

Hábitos Mágicos

Há cerca de 25 anos, a Sónia Freitas recebeu um sabonete artesanal de leite de burra e alfazema. Foi paixão à primeira vista! Começou a pesquisar os processos de saponificação, fez cursos em vários pontos do país e Europa e assim foi aprofundando conhecimentos, mas sempre enquanto hobby. Durante esses anos trabalhou sempre na área da formação.
Em plena pandemia, quando o mundo parou, sentiu que era o momento de dar nome e vida ao seu hobby. Assim nasceu a Hábitos Mágicos!
A Hábitos Mágicos oferece a experiência em forma de saboaria e cosméticos artesanais com inspiração na natureza, cresce com a investigação e é potenciado para a sustentabilidade. 
Todos os produtos são produzidos de forma artesanal, apenas com ingredientes de origem natural e sempre que possível biológica. Os produtos de origem animal: Mel e leite são biológicos e preservando o bem-estar animal.
Todos os produtos são cruelty free. Sempre que possível os cosméticos são produzidos com produtos endógenos provenientes de produtores e comunidade local da Região Dão Latões. Nos workshops e oficinas, são partilhadas experiências e receitas para produtos naturais e sustentáveis.
 
www.habitosmagicos.com

7 agosto

Uxu Kalhus

Os Uxu Kalhus são um projeto com 21 anos de existência e outros tantos de dedicação à reinvenção da música tradicional portuguesa. Reinvenção porque a coloca num universo de fusão fazendo uso, por um lado, de instrumentos acústicos e elétricos em diálogos improváveis e por outro do cruzamento, muitas vezes externo, de estilos e influências na hora de fazer arranjos para temas do cancioneiro português e/ou na composição de música original.
2019 é ano de edição de novo álbum Enleio que marca um novo ciclo de exploração eletroacústica, onde novos e velhos instrumentos musicais se fundem em texturas singulares e trazem ambientes de excentricidade melódica e harmónica.
 
http://uxukalhus.blogspot.com/

Eva Azevedo e Isa Santos

RIZOMAS DA DANÇA
Depois de vários anos a trabalharem em diversos projetos como bailarinas e coreografas, Isa Santos e Eva Azevedo, voltam a juntar-se para desenvolver um trabalho de pesquisa e formação, que integra e soma os mais de 20 anos de experiência na área da dança. Tendo como base as expressões da dança da costa Oeste de África, esta formação caminha sobre os 4 elementos da natureza e a teoria da dança e movimento segundo Rudolf Laban. Queremos explorar movimento. Como nos movemos na multiplicidade das nossas
memórias? Como podemos ser linhas que se cruzam e que se nutrem? Valorizando uma metodologia somática que acolhe o corpo vivo como um lugar de
memória e transformação, movendo-nos em liberdade, de dentro para fora, do individual para o coletivo, num caminho comunitário.
 
Acompanhado por diferentes sonoridades e ritmos da autoria dos músicos Paulo das Cavernas e Pedro Guru, esta proposta floresce em 4 fases/temáticas, podendo ser apresentado em formato oficina ou formação intensiva.
 
https://popolomondo2.wixsite.com/popolomondo/eva-azevedo

Kritica Thakur

Kritika Thakur, nascida e criada em Nova Deli, India, estudou Biotecnologia, mas depois de se apaixonar pela dança, mudou de carreira e decidiu seguir seus sonhos e paixão.  Dançarina diversificada e experiente em variados estilos de dança indiana e ocidental, Kritika trabalhou na indústria BOLLYWOOD em Mumbai, na Índia, como performer e coreógrafa. Muda-se para Portugal em 2017, e começa a construir a sua carreira com aulas de dança indiana, workshops e espetáculos por todo o país, tendo participado em vários eventos de dança portuguesa como Tradidanças Carvalhais. Este
ano regressa para realizar uma oficina de Bollywood e de outra de Bhangra.
 
www.facebook.com/kritikathakurdance
 
www.instagram.com/kritikathakur.artist/

Rancho Folclórico de Carvalhais

Carvalhais sempre foi uma terra ligada às danças, andanças e contradanças… As músicas e as danças tradicionais passavam de geração em geração. Porém, nada formalizado, nem constituído. A 25/07/2017, um grupo de pessoas, motivado pelas fortes raízes que têm à sua terra e incentivado pela vasta cultura local, decidiu
criar um rancho folclórico e constituir uma identidade. Uma marca da cultural tradicional de Carvalhais, que pretende dignificar esta terra da dança.
 
https://www.facebook.com/ranchofolclorico.decarvalhais.5

Cristiano Martins

Cristiano Martins é facilitador de Biodanza Sistema Rolando Toro pela Escola de Biodanza SRT do Porto e de Portugal, assim como didata de Biodanza pela International Biocentric Foundation. Nos últimos anos dedicou-se à construção de diversas oficinas de autor, tendo colaborado com a Escola de Biodanza de Berlin, Porto e Lisboa, entre outras.
 
https://cristianomartinsbio.wixsite.com/website
 

Lucis Chorus

O Lucis Chorus nasceu em agosto de 2019 no seio de um grupo de amigos que sonharam juntar um grupo a quatro vozes. Gradualmente o coro polifónico foi tomando forma e, atualmente conta com cerca 25 elementos dos concelhos de São Pedro do Sul, Vouzela e Oliveira de Frades. Com um repertório variado, o grupo interpreta diferentes tipos de música como: tradicional portuguesa, gospel, lírico, clássico e litúrgico.  Com um grupo jovem, cheio de sonhos e muita paixão pela música, o Lucis Chorus pretende ser um grupo que leva a todos a beleza da música – um coro cheio de luz – tal como se traduz no seu nome em latim. O maestro do grupo é Jorge Duarte, que acompanha do grupo desde a sua origem.
 
https://www.facebook.com/lucischorus/
https://www.instagram.com/lucis_chorus19/

Artesã d’Estórias

Artesã D’Estórias é um projeto que combina a arte de animar e contar histórias com as artes manuais.
 
“Onde moram as fadas?” – “As fadas estão por toda a parte, nas flores, nas árvores, nas rochas, no campo e na cidade…vou contar-te alguns segredos, acreditas?”
 
Oficina Casa de Fadas – Com materiais da natureza vamos criar um lar para as fadas e com elas vamos conviver e celebrar a magia da natureza!
 
Oficina Miniaturas d’Encantar – Miniaturas d’Encantar são pequenos bonecos articulados com os quais vamos poder criar brincadeiras sem fim! Desta vez vamos criar uma Fada ou Fado!
 
https://artesa-de-estorias.webnode.pt/

Zariya

Zariya é uma companhia de artes cênicas que representa a verdadeira cultura e tradições da Índia através de DANÇA e ARTE incorporando danças tradicionais, clássicas e contemporâneas da Índia. Foi criada pela artista de dança indiana Kritika
Thakur que se mudou para Portugal depois de se casar com o percussionista português Tiago Manuel Soares.
Zariya [pronuncia-se Zariyā] é ​​uma palavra da língua urdu que significa um meio/fonte/caminho/caminho para alcançar um propósito ou que leva a um objetivo. Zariya é a maneira de espalhar a cultura indiana para o mundo.
 
Website: www.zariyaworld.com
Facebook @zariyaworld
Instagram @zariyaworld

DJ Comfusão

À volta do mundo em 80 ritmos, com groove multiétnico e electro-folclore.

Donna Palinhos

Para Donna, o yoga é uma prática de cura que a ajudou a redescobrir-se a si própria e
a encontrar o seu propósito de alma. Esta apaixonada professora de yoga abriu o primeiro estúdio de yoga de São Pedro do Sul em Março deste ano, e ela adora misturar uma forte prática de Vinyasa/Hatha com técnicas de relaxamento e introspecção.
 
www.facebook.com/originyogawithdonna
www.instagram.com/originyogawithdonna

IMAGENS DA EDIÇÃO 2022

pt_PT