RUI BEATO

Eram Tantas Vezes  (é o projecto de um contador de histórias (Rui Beato) num espectáculo dinâmico onde as histórias ganham vida, adicionando à palavra: sonoplastia, teatro físico, animação e interactividade com o público). A sonoplastia é a vaselina das palavras e, enquanto recurso, cria paisagens sonoras conduzindo o escutador à catedral das emoções. Entre histórias de autor e histórias recolhidas de diversas partes do mundo adaptadas e reformuladas, as situações narrativas são díspares e inesperadas. Nesta sessão há um convite à libertação dos pensamentos pelo desassossego, pelo absurdo, pelo ridículo e pelo inusitado das situações narrativas, o grande segredo das sessões Eram Tantas Vezes. A personagem do contador de histórias (trajado a preceito) representa um salteador das histórias perdidas que anda em busca das histórias mais "parvas" mas também reflexivas.  A mala que traz consigo, contém histórias incríveis de várias partes do mundo, poemas vigorosos, segredos fantásticos e objectos estranhamente mágicos...