Danças Africanas por Eva Azevedo

Danças Africanas por Eva Azevedo - (Música ao vivo por Nação Vira Lata e Paulo das Cavernas)

Folk botânico. Música original evolutiva, da raíz à semente, com melodias e batidas que fazem mexer o corpo e convidam à dança. Acústica e elétrica, analógica e digital, Malva junta três músicos a muitos mais instrumentos - guitarras, bateria, percussões e flautas -, num ecossistema que permite ainda o uso de pedais e outras formas de modelação e mediação sonora. Malva é uma viagem musical pelo lado verde do planeta real e sonhado, pelo mundo de fora e pelo outro que está dentro de cada um.
Antes de se encontrarem, no início da primavera de 2018, num contentor marítimo com o interior forrado a esferovite azul e atracado cirurgicamente numa área plana da serra da Malveira, tocaram todos juntos pela última vez, provavelmente, nos Uxu Kalhus [já lá vão alguns anos]. Entretanto, Winga andou ocupado com Blasted Mechanism, Nação Vira Lata, Winga Kan; Paulo Pereira com os Pó e os Bule-Bule; António [Tó-Zé] Bexiga com Há Lobos sem Ser na Serra, Bicho do Mato, Bonecos & Campaniça, entre outros. Pelo meio, Tó-Zé e Paulo tocaram e viajaram juntos por vários continentes com projetos como Sal de Terra e No Mazurka Band. Partilharam outros projetos bem portugueses como Voz à Rua e Cantar Abril. Winga e Paulo Pereira fundaram e tocaram juntos no projeto Adamastor Remix. Malva surge neste primeiro (re)encontro e da vontade de fazer música original com forte ligação à raiz e ao universo musical de cada um. O local do encontro inspirou o nome e a música reflete a consciência e o lugar. Winga (Winga Kan; Nação Vira Lata): Bateria e percussões Paulo Pereira (Bule Bule, Pó): Flautas António [Tó-Zé] Bexiga (Há Lobos Sem Ser na Serra, Bicho do Mato): Guitarras, viola campaniça