2018

2 Agosto 3 Agosto 4 Agosto 5 Agosto
Enraizarte Galandum Galundaina Terrakota Torga
Simona Jovic Magmell Zikhamu Ana Lage
Eva Azevedo André Madeira Espaço Baião Bule-Bule
Nação Vira Lata Zé Barbosa e Marta Diana Rego Orquestra de Foles
Meiró Bota Swing Chulada da Ponte Velha Trioliro
Malva Projecto Bug Foice Vouguinhas
Rancho Folclórico e Etnográfico da Tileira Rancho Folclórico da Casa do Povo de Manhouce Rancho Folclórico de Pampilhosa da Serra Rancho Folclórico de Carvalhais
Ana Rita Melo Miguel Bento Pramod Sérgio Cristo Catarina Ascensão
Má Companhia Trupe Sénior Chapitô Bruno Batista Marco Luna
Marta Coutinho Winga Kan Tiago Rêgo Mónica Mendes

O Tradidanças é um festival de Tradições, Música, Dança e Natureza que une o património específico do território da serra da Arada (freguesias de Carvalhais e Candal, São Pedro do Sul), à riqueza da diversidade trazida de outros lugares.

A música e as danças ligadas às tradições são transmitidas através de oficinas dinamizadas por profissionais, e o público torna-se um dos grandes protagonistas do evento, já que aprende nas oficinas de dança (que acontecem à tarde, nos palcos Arada, Reguengo e Carvalhais) para depois dançar nos bailes (pela noite dentro). Também os concertos preenchem as noites no Palco Serra, complementando a oferta para aqueles que preferem assistir às atuações, e para os que gostam de animar as frentes de palco.

Para relaxar (ou para agitar ainda mais), os relaxamentos ou oficinas de desenvolvimento pessoal acontecem ao entardecer e desafiam cada participante a deixar-se conduzir a outros estados de consciência.

A programação infantil acontece num lugar cujo nome “abre portas” a outras idades: o espaço lúdico-intergeracional – ELI, espaço para expressões, sessões de contos e artes de rua serem apresentadas e desconstruídas por todos. Neste campo de futebol (que é o recinto do festival) pode, a qualquer momento, surgir uma animação espontânea através de arruadas, performances musicais e teatros de rua e, nos seus balneários, a conversa gira em torno dos temas que requerem maior destaque.

E porque o nome do festival o indica, as tradições entram no recinto e têm direito a um laboratório vivo de interpretação por parte dos detentores dos saberes aos quais se juntam os participantes mais curiosos.

A edição deste ano, para além de tasquinhas e restaurantes com produtos locais, contará com uma feira de artesãos com produtos vindos de toda a parte, e com uma secção dedicada aos construtores de instrumentos musicais.

Pela frescura da manhã a programação apresenta duas viagens à escolha: uma viagem de tradição e uma viagem de natureza. E se entre estas há um destino em comum (por lugares de interesse do território), no local cada grupo é conduzido por guias do património cultural ou do património natural (conforme escolha prévia do participante).

Por fim, e também fora do recinto, a igreja convida a um concerto por noite e a uma cerimónia religiosa, e o bonito carvalhedo transforma-se em sala de aulas de um instrumento musical, no período da tarde.

Em 2018, no Tradidanças, artistas, participantes e comunidade local partilham e cruzam conhecimentos, numa sinergia que considera a participação ativa de todos os que nele se envolvem. Convidamo-lo a entrar nesta viagem!