Concertos

Galandum Galundaina
Website: www.galandum.co.pt

Galandum Galundaina faz parte da genealogia de uma região com um património musical e etnográfico único, que durante muito tempo ficou esquecido. Ao longo dos últimos 20 anos o grupo contribuiu para o estudo, preservação e divulgação da identidade cultural das Terras de Miranda, Nordeste Transmontano.
O seu trabalho de investigação e recolha, junto de pessoas mais velhas com conhecimentos rigorosos do legado musical da região, a par da formação académica na área da música, concretizou-se num sentido renovado no modo de entender as sonoridades que desde sempre conheceram. Com a sua música não procuram criar novos significados, mas antes descrever os lugares e a vida; encontrar as raízes que permitem que a cultura se desenvolva.
Em palco os quatro elementos apresentam um repertório vocal e instrumental na herança do cancioneiro tradicional das Terras de Miranda, onde as harmonias vocais e o ritmo das percussões nos transportam para um universo atemporal. Das memórias da Sanfona, da Gaita-de-foles Mirandesa, da Flauta pastoril, do Rabel, do Saltério, do Cântaro, do Pandeiro mirandês, do Bombo e da Caixa de Guerra do avô Ventura, nasce uma música que acumula referências, lugares, intensidades, tempos. Para Galandum Galundaina a música não se inventa; reencontra-se.
Membros: Paulo Preto - Voz, Sanfona, Gaita-de-fole mirandesa, dulçaina, flauta tamboril e pastoril; Paulo Meirinhos - Voz, bombo, rabel, gaita de fole, realejo, garrafa, castanholas, pandeireta, pandeiro mirandês; Alexandre Meirinhos - Voz, caixa de guerra, bombo, pandeireta, pandeiro mirandês, tamboril, cântaro, almofariz; João Pratas - Voz, flauta pastoril , flauta de osso, tamboril, saltério, flauta transversal, bombo, pandeiro mirandês, charrascas.

Terrakota
Website: www.terrakota.org/ Facebook: www.facebook.com/terrakota.page

Com os Terrakota, o mundo é virado do avesso e as fronteiras são suprimidas por uma música poliglota, como se português, wolof, creolo, espanhol, inglês, árabe e francês fossem uma língua só. Detentores de um passaporte global tocam e dançam ritmos mandinga eAfro-cubanos, soukouss, maracatu, gnawa, afrobeat, dancehall, chimurenga e influências da música indiana. A música de Terrakota une povos, línguas e culturas e canta pelo reconhecimento da universalidade da natureza humana. Nos seus espectáculos ao vivo, materializam uma forte consciência política, social e ambiental. Uma sólida identidade musical é permanentemente construída partindo da fusão de elementos tradicionais e contemporâneos.